quinta-feira, 25 de Junho de 2009

Competitividade Empresarial - A importância do comércio justo

Ao ler um artigo sobre uma eventual deslocalização da Michelin para a Índia, lembrei-me uma vez mais da temática do comércio justo. E a sua relação com a competitividade empresarial.

Na altura de crise em que vivemos, muito se discute sobre o futuro das trocas comerciais a nível mundial. Qual será a solução? Apostar num forte proteccionismo para defender a produção nacional ou promover uma circulação de capitais e bens cada vez mais livre por todo o mundo?

Para mim, e como costuma dizer o meu amigo Carlos Santos, a cor da verdade é o cinzento. Se me perguntassem directamente qual das duas soluções acima apresentadas seria a correcta, eu diria que nenhuma. A solução, no meu entender, será antes uma outra alternativa. Em primeiro lugar devo referir que sou a favor do comércio livre, desde que justo. Não partilho da visão de que devemos perseguir a nossa auto-suficiência. Para mim, além de actualmente isso ser impossível, acho que seria bastante prejudicial para o nosso país. Não nos devemos encerrar em nós próprios. Devemos exportar o nosso melhor e importar o melhor dos outros. Pondo isto, não sou a favor de proteccionismos. Mas também não sou a favor de um comércio totalmente livre. Livre sim mas também regulado. Porque para mim, combater o dumping social (mesmo que isso signifique proteger produtos nacionais) não é proteccionismo mas uma questão de "moral" e "ética".

Para mim, o dumping (social, ambiental, etc.) só serve para distorcer a noção de competitividade. Porque a competitividade e a concorrência deviam gerar melhorias a todos os níveis e assim obtermos produtos com uma qualidade cada vez mais elevada que consequentemente proporcionariam uma qualidade de vida cada vez maior a um leque mais alargado de pessoas. As empresas deviam "combater" para nos aumentarem as regalias e os ordenados em troca dos nossos serviços. Não devíamos ser nós a implorar para que usem as nossas qualificações e aptidões. Pode ser uma ideia até bastante utópica mas já está presente em certas empresas de topo e deveríamos trabalhar no sentido de alargar essa noção a todos os tipos de emprego. Numa situação desesperada como aquela que enfrentamos actualmente, muitas pessoas pensam que as empresas lhes estão a fazer um "favor" ao não as despedirem. Em alguns casos será assim, mas na maioria dos casos o patronato aproveita-se desta situação para explorar os trabalhadores. Quantas empresas com boa saúde financeira é que já se aproveitaram da crise para proceder a despedimentos, redução de salários, regalias, etc?

Neste aspecto o comércio justo pode e deve ter um papel fundamental na competitividade empresarial. Porque se retirarmos o dumping as empresas terão de encontrar outras formas de se "sobrepor" umas às outras. Formas essas que poderiam ser benéficas para nós e para o planeta, ao contrário do dumping que é altamente destrutivo para o ambiente e para o capital social. Pagarmos o preço justo pelos produtos não deveria ser uma opção mas uma "obrigação". As associações/organizações de comércio desempenham um papel bastante importante mas sem o auxílio governamental torna-se bastante difícil produzir mudanças a nível mundial.

O potencial do comércio justo é enorme. Serviria para reduzir a pobreza (com consequências bem conhecidas na educação e saúde), para melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas, para financiar projectos de desenvolvimento local, para adaptar melhor os países subdesenvolvidos às alterações climáticas, etc. Essencialmente o comércio justo poderia financiar a resolução de vários problemas à escala global. E ao mesmo tempo, trazer o benefício de moldarmos a competitividade empresarial para um outro patamar que não o do desrespeito pelos Direitos Humanos. Assim sim, mereceria a pena defender o comércio livre e aproveitarmos os seus benefícios não só económicos como sociais (como o aproximar de culturas e povos).

1 comentário:

  1. não está muito bom este comentário... em fim, não era o que eu procurava. :/

    ResponderEliminar